Archive for outubro \29\UTC 2009

h1

Restaurant Week

29 de outubro de 2009
Adriana Cortez

restaurante weekO famoso Restaurant Week movimentou as cidades portuguesas de Lisboa e Porto. Para quem não conhece o primeiro restaurante week surgiu em Nova York, há 16 anos em parceria com o Fashion Week. Seu objetivo era aumentar as vendas na época de baixa temporada, conhecida como “slow season”.

Na primeira edição participaram 90 restaurantes, hoje a adesão é de mais de 10.000 restaurantes. A Restaurant Week dura normalmente uma semana e já é organizada em mais de 100 capitais e grandes cidades do mundo como Londres, Chicago, Brasília, São Paulo e Sidney.

O conceito do Restaurat Week é de democratizar o acesso aos restaurantes e dinamizar as cidades através da promoção da vida social das pessoas em locais e momentos considerados mais proprícios como a refeição. Para isso os restaurantes aderem a iniciativa apresentando um menú específico e preços especiais proporcionando o acesso à gastronomia e a estabelecimentos nem sempre acessíveis a todos.

Para comemorar o facto, os restaurantes aderentes à iniciativa, apresentam um Menú Específico a um Preço Especialmente Convidativo, proporcionando o acesso à gastronomia e estabelecimentos nem sempre acessíveis a todos.

Em maio foi a primeira vez do Restaurant Week em Lisboa, foram servidas 12.506 refeições em 25 restaurantes. Olisboa sucesso foi tanto que uma nova edição foi realizada entre os dias 8 e 18 de outubro. Os estabelecimentos serviaam entrada, prato e sobremesa a 20 euros por pessoa em 42 dos melhores restaurantes da cidade, como o Olivier, Mezzaluna e Eleven.

portoDepois das duas doses em Lisboa, o Restaurant Week desembarcou no Porto entre os dias 21 a 31 de outubro. Em todos os casos a bebida é paga à parte e 1 euro é revertido para instituições beneficentes. Na cidade participam 22 dos melhores restaurantes, sendo indispensável que o cliente faça uma reserva no restaurante para participar do evento. Entre os restaurantes escolhidos estão: A Cozinha do Manel, Artemísia, Boca do Lobo (Hotel Infante de Sagres), Bull & Bear, Góshò (Porto Palacio Congress Hotel and Spa), Itamae, Jardim d`Inverno (Hotel Ipanema Park).

Na cidade de Lisboa as instituições escolhidas foram a Janela Aberta que é um centro de acolhimento temporário de menores em risco, e a Ajuda de Berço que acolhe crianças de 0 a 3 anos. Na cidade do Porto a instituição Ajuda de Berço e a Mulher Atenta que realiza ações diversas junto com a população foram as beneficiadas.  Em todas as cidades que passa é obrigatório a ajuda a entidades. Um dos parceiros para a realização deste evento é o jornal Metro, conhecido também aqui no Brasil. 

Agora vamos aguardar as próximas edições do evento programadas em 2010 durante as épocas de inverno em São Paulo e Nova York. Confira algumas dicas para esse evento, retiradas do site da Veja São Paulo:

h1

É devagar, devagarinho…

28 de outubro de 2009
Bianka Saccoman

 É inútil forçar os ritmos da vida. A arte de viver consiste em aprender a dar o devido tempo às coisas.
Carlo Petrini, fundador do Slow Food

símboloEm contrapartida ao acelerado ritmo atual, a Slow Food (expressão em inglês que se contrapõe a fast-food), busca uma nova forma de se apreciar os alimentos, percebendo os ingredientes e as escolhas alimentares. O movimento surge como resposta à aceleração do tempo. Porém, a proposta do movimento não é comer em câmera lenta, ele busca combater a homogeneização do paladar e das espécies.

O Slow Food segue o conceito da ecogastronomia, que combina o prazer e a alimentação com consciência e responsabilidade. Atualmente, o movimento conta cerca de 100.000 associados.

A proposta de conseguir tempo para conseguir saborear os alimentos foi fundada pelo jornalista Carlo Petrini emslow-food 1986, na Itália. No ano de 1989, o Slow Food, tornou-se uma associação internacional sem fins lucrativos.

O princípio básico do movimento é o direito ao prazer da alimentação, utilizando produtos artesanais de qualidade especial, produzidos de forma que respeite tanto o meio ambiente quanto as pessoas responsáveis pela produção.

O movimento acredita que o alimento deve ter bom sabor; cultivado de maneira orgânica, sem prejudicar nossa saúde, o meio ambiente e os animais; e os produtores devem ser justamente remunerados. Uma visão um tanto utópica, já que de acordo com estudos, o Brasil lidera o uso mundial de agrotóxicos. Além do mais, os alimentos sem fertilizantes químicos ou agrotóxicos ainda são bastante caros em relação aos outros que contêm agrotóxicos, de maneira que a maior parcela da população não pode usufruir dos alimentos orgânicos.

O movimento promove ações no Brasil para a preservação de ingredientes regionais, assim como, a manutenção das áreas onde eles se constituem. Uma dessas ações é a Fortaleza do Guaraná Nativo Sateré-Mawé, que promove a preservação do autêntico guaraná amazônico e possui apoio do Ministério do Desenvolvimento Agrário.

Para quem se interessar em aderir ao movimento, é necessário a leitura do Manual do Slow Food que apresenta uma visão geral da associação. O livro contém textos e imagens sobre a história, a filosofia e a missão do Slow Food.

Outra iniciativa bastante interessante do movimento é a Arca do Gosto, um catálogo mundial que localiza e divulga produtos ameaçados de extinção, mas que apresentam potencialidades produtivas e comerciais. O objetivo é documentar produtos gastronômicos especiais, que correm o risco de desaparecer. Desde o início da iniciativa em 1996, mais de 750 produtos de dezenas de países foram integrados à Arca. Entre os produtos brasileiros encontra-se o peixe pirarucu, conhecido como o “Gigante Amazônico”; o palmito Jussara, que é a espécie de palmito mais ameaçada de extinção; e a receita Marmelada de Santa Luzia, típica do estado de Goiás.

O documentário Terra Madre, do diretor Ermanno Olmi, 2008 apresenta o encontro internacional Terra Madre, promovido pelo Slow Food na Itália que reuniu ativistas e pequenos produtores de mais de 150 países.

Não há um estabelecimento comercial Slow Food, o que existe são donos e chefes adeptos à filosofia.

O restaurante Tordesillhas trabalha com ingredientes que vêm de lugares bem cuidados e sustentáveis, assim como o restaurante que privilegia pratos simples Julia Gastronomia,  o mediterâneo La Table O. & Co, e a pizzaria na Granja Viana João do Grão.

 Para mais informações, visite o site do Slow Food Brasil

h1

É tempo de beber com os olhos

27 de outubro de 2009
Mariana Buck

florchá

Este belo espetáculo da natureza, além de fascinante aos olhos é agradável ao paladar. O “flowering tea”, como chamado é cultivado no sudeste da China, sua colheita e preparo necessitam de cuidados especiais. No início da primavera, as mulheres saem ainda de madruga para colher as pequenas flores. Depois da colheita, as flores são ressecadas e envoltas em uma folha de chá verde (também seca) como um novelo. Este processo é delicado pois o aroma da flor pode ser alterado facilmente, através da absorção. Há relatos que contam  que as camponesas não podem ingerir alimentos com cheiro forte, como cebola e alho, durante o período da colheita para evitar que o aroma da flor seja prejudicado.

Depois da colheita e secagem, as bolinhas de chá são costuradas à mão, com algodão cru. Para preparar é simples, basta colocar a bolinha em um recipiente transparente e acrescentar água quente ao poucos; as folhas se expandem, se separam e de dentro da bolinha surge uma pequena flor, que pode ter tamanho e cores diversas.

cha-flower-tea2-300x210

Sobre a origem do chá, há uma lenda que conta que o imperador chinês Shên Nung declarou ao seu povo que toda água antes de ser ingerida deveria ser fervida, uma medida para a saúde. Uma bela tarde, quando fervia a sua água, uma brisa fez com que as folhas de um arbusto próximo caíssem em sua água. Sem perceber, o imperador provou e gostou do sabor da infusão. O imperador teria sido então, o criador da medicina natural pois conforme a lenda, testou várias bebidas medicinais à base do chá. Esta lenda é considerada a primeira referência à infusão de chá verde, elaborado com folhas de uma planta  chamada camelia sinesis.

Mas sobre fatos concretos, o primeiro registro escrito sobre o chá data do ano III a.C. O tratado de Lu Yu, conhecido como o primeiro tratado com caráter técnico sobre o chá, escrito durante a Dinastia Tang ( século VIII), definiu o papel da China como responsável  pela introdução do chá no mundo.

No Brasil, a reconfortante bebida foi trazida por chineses – vindos de Macau em 1812- que a mando de D.João VI, vieram testar o solo brasileiro para o cultivo do chá.

A partir da folha da Camelia sinesis, planta comum na China e Índia, é possível obter vários tipos de chás que dependendo do tratamento podem ser divididos nas seguintes categorias: verde, preto, oolong, aromatizados. Esta bebida milenar conquistou adeptos no mundo inteiro, a cada segundo são consumidos 36.000 xícaras de chá, o consumo médio anual é de 450g por habitante e são colhidas cerca de 2.600.000 toneladas de chá anualmente no mundo todo.

Para os apaixonados pela bebida, vale a pena provar e contemplar o “flowering tea”. Difíceis de serem encontrados no Brasil, quem quiser aproveitar o retaurante Ping Pong acabou de trazer uma nova leva. Para o consumo local já estão no cardápio, mas para levar para casa estarão à venda no início do próximo mês caixinhas de nove unidades por R$63,oo.

Ping Pong – Rua Lopes Neto, 15 – Itaim-Bibi – Telefone. 3078-5808
A  loja do Chá – Shopping Iguatemi, Av.Brigadeiro Faria Lima, 2.232,  3 piso, Jardim Paulistano – Telefone.3816-5359

box

 

 

h1

Paixão Universal

26 de outubro de 2009
Adriana Cortez

chocolateSeu nome original é Theobroma, possui origem grega e significa alimento dos deuses. Você ainda não sabe de quem estou falando? O nome foi criado pelo botânico sueco Carlos Linnaeus em meados do século 18 e hoje é conhecido como chocolate.

Mas o chocolate é bem mais antigo que o botânico, ele nasceu há muitos séculos atrás, com os maias e os astecas na América Central. Os astecas acreditavam que o deus Quetzalcoatl personificava a sabedoria e o conhecimento e deu ao povo do México muitas coisas, entre elas, a semente de cacau. Para festejar esse presente vindo dos céus, os astecas realizam rituais cruéis de sacrifícios humanos.

Enquanto isso os maias, que também conheciam o chocolate, estabeleceram as primeiras plantações de cacau em Yucatan e na Guatemala. Conhecidos como grandes comerciantes, os mais aumentaram muito sua riqueza com a colheita do cacau.

Para esses povos o cacau não era importante somente para adquirir a bebida, chamada  tchocolath, tomada fria e com bastante espuma, era usado também como moeda. Na época, um coelho era comprado com oito sementes de cacau, já um escravo era vendido em troca de cem sementes.

cacau

Durante esse período, o cacau e o chocolate eram usados em rituais, banquetes e comércio na América Central, mas com o passar dos séculos, em 30 de julho de 1502, Cristóvão Colombo achando que chegava à Índia desembarcava na verdade na Ilha de Guaiano, na América Central.

Os habitantes locais, curiosos sobre os visitantes abordaram a caravela de Colombo. O chefe asteca subiu a bordo e ofereceu tecidos e a sementes de cacau para o navegador, explicando que essas sementes eram as moedas do país que com elas também podia preparar uma bebida muito conhecida entre eles. Colombo e sua tripulação provaram a semente e tomaram o chocolate, dias depois voltaram para a Europa sem dar muita atenção e sem saber que eles tinham sido os primeiros europeus a provar que seria séculos depois apreciado pelo mundo inteiro.

Estudos sobre o chocolate provaram que os astecas estavam certos em acreditar nos segredos do cacau, o chocolate que contém mais da semente – o meio amargo – faz bem a saúde. Um estudo realizado pela Universidade Hospital Colônia, na Alemanha revela que o consumo rotineiro reduz os níveis de pressão arterial, protegendo o coração. A pesquisa avaliou pacientes entre 56 e 73 anos, pré-hipertensos ou no estágio inicial do problema; no período de 18 semanas parte deles consumiu diariamente um único pedaço de uma barrinha, os demais ingeriram o chocolate branco.

O único pedacinho da barrinha de meio amargo, correspondente a 6,3 gramas derrubaram a pressão que o sangue exerce sobre os vasos. Depois dessa descoberta houve uma queda de 86% para 68% nos casos de infarto e derrame conseqüências da hipertensão, doença que atinge 1 bilhão de pessoas em todo o mundo. No estudo alemão, provou-se ainda que tudo isso pode se dar sem alterações no peso e nas taxas de açúcar e gordura na circulação.

Além da saúde, o chocolate faz sucesso também nas telas do cinema. O ator Johnnyfantastica-fabrica-poster12 Deep estrela dois filme sobre a deliciosa guloseima. No regravação do filme a “Fantástica Fábrica de Chocolate” um grupo de crianças vence o concurso das barras de chocolate Wonka e tem acesso à misteriosa, mágica e fantástica fábrica de chocolate, onde segredos da fabricação do produto estavam trancafiados a sete chaves.

404px-chocolat_sheetOutro sucesso é a homenagem do diretor sueco ao doce, o filme “Chocolat”, passado em um vilarejo francês nos anos 50 é um símbolo para o cineasta discutir valores como tradição, humanismo, moral e tolerância. Nele Johnny é Roux, um musico andarilho que desembarca na aldeia e se envolve com Vianne Rocher, interpretada por Juliette Binoche, uma forasteira que, acompanhada da filha de seis anos, chega ao conservador vilarejo no interior da França.  Com “ousadia” abre uma loja de chocolates, ao lado da igreja, em plena Quaresma. Com um ar de feiticeira, encanta alguns moradores com suas receitas, algumas bastante exóticas, como a que mistura chocolate e pimenta. Outros habitantes, principalmente o prefeito (Alfred Molina), não aceitam sua presença na vila, pois ela estaria subvertendo a ordem e a moral no local.

Hoje o chocolate é vendido em qualquer parte do mundo, atingindo seu pico na época da Páscoa e depois no Natal, com os panetones. Fora dessas datas é encontrado em bolos, bombons, tortas, bebidas e onde você menos imaginar. Para os amantes do chocolate, fica uma receita de bolo de chocolate.

Ingredientes:

  • 2 xícaras de farinha de trigo
  • 2 xícaras de açúcar
  • 1 xícara de leite
  • 6 colheres de sopa cheias de chocolate em pó
  • 1 colher de sopa de fermento em pó
  • 6 ovos
  • Modo de fazer: bata as claras em neve, acrescente as gemas e bate novamente, coloque o açúcar e bata outra vez. Coloque a farinha, o chocolate em pó, o fermento, o leite e bata novamente. Unte um tabuleiro e coloque para assar por aproximadamente 40 minutos em forno médio. Enquanto o bolo assa faça a cobertura com 2 colheres de chocolate em pó, 1 colher de margarina, meio copo de leite e leve ao fogo até começar a ferver. Jogue quente sobre o bolo já assado.

    h1

    33° Mostra Internacional de Cinema

    25 de outubro de 2009
    Bianka Saccoman

    Entre os dias 23 de outubro e 5 de novembro acontece a 33° Mostra Internacional de Cinema em São Paulo. O festival ocorre anualmente na cidade desde 1977. Em sua primeira apresentação a mostra contou com 16 longas-metragens e 7 curtas e as 40 sessões eram realizadas no Auditório do MASP.

    MOSTRA

    Hoje a mostra ocupa 17 salas espalhadas pela capital, apresenta mais de 400 títulos e mobiliza um público aproximado de 200 mil pessoas. Entre os locais que exibem a mostra estão: Cine Bombril, Cinema da Vila, Cine SESC, Espaço Unibanco Augusta, HSBC Belas Artes, Cinemateca, FAAP, alguns shoppings e muito mais.

    Este ano, a cozinha está presente em quatro títulos do festival. O filme norte-americano “Julie & Julia”, da diretora Nora Ephron, conta a história de como Julia Child mudou a maneira da America cozinhar com o livro Mastering the Art of French Cooking. Cinquenta anos depois, uma outra mulher, Julie Powell, passa um ano cozinhando todas as 524 receitas do livro de Julia Child enquanto assina um blog sobre sua experiência. Confira mais sobre o filme na matéria de Adriana Cortez: Julie & Julia

    No filme “Soul Kitchen“, de Fatih Akin, (Alemanha – Turquia)  Zinos, um jovem dono de restaurante moderno em Hamburgo, está sem sorte. Sua namorada o trocou por um emprego em Xangai e ninguém mais frequenta seu restaurante desde que trocou de cozinheiro. Até que sugerem um novo nome para o estabelecimento  todos começam a comentar o novo ponto de encontro da cidade, o Soul Kitchen. Mesmo com os negócios indo bem, ele decide ir atrás da namorada e deixa seu restaurante nas mãos de seu irmão.

    O filme sueco “Bananas!” do cineasta e jornalista Fredrik Gertten, A Dole Food Company, mostra o julgamento da Dole Food Company, maior companhia de frutas do mundo, acusada de envenenar seus funcionários. Um pequeno escritório americano de advocacia representa os trabalhadores nicaraguenses, que alegam estar inférteis por causa das substâncias tóxicas utilizadas pela empresa em suas plantações de bananas. O filme rendeu processo contra o diretor, que mostra os conflitos éticos entre a grande empresa alimentícia e as plantações de banana da Nicarágua.

    No filme “A Cozinha de Stella” (Cooking With Stella), de Dilip Mehta, um casal canadende descobre os mistérios da cozinha indiana ao se mudar para Nova Déli.

    O festival fez uma parceria com alguns bares e  restaurantes da cidade que oferecem descontos ou promoções a seus espectadores. Para aproveitar as ofertas, o espectador deve apresentar o ingresso nos restaurantes.

    No Bar do Batata, o ingresso vale 15% de desconto  O Chácara Santa Cecília dá uma tulipa de chope em troca do ingresso. O Galeto’s oferece de 10% (apresentando apenas o ingresso) a 20% (apresentando ingresso e o cartão Mais Galeto’s) de desconto no jantar, a partir das 19h. No Nakombi Vila Olímpia, o ingresso vale um saquê tropical. O Pirajá dá um chope ao espectador que mostra seu ingresso. No Sal Gastronomia, o espectador obtém 10% de desconto ao apresentar a entrada.

     Confira oas outras atrações e horários no site da 33° Mostra Internacional de Cinema

    h1

    Eles já estão nas prateleiras

    23 de outubro de 2009
    Mariana Buck

    panetoni1Este tradicional pão doce, de massa suave com leve toque de baunilha, frutas secas e um formato semelhante ao de uma cúpula de igreja hoje é um símbolo do Natal. Sua massa sofre um processo natural de fermentação que lhe garante uma consistência macia, uma fatia da sobremesa é rica em carboidrato e possui grande quantidade de gordura .

    Sobre sua origem, existem algumas versões. A mais conhecida é de que no século XV um jovem milanês teria se apaixonado pela filha de um padeiro chamado Toni, e para impressionar o pai da moça o rapaz  se disfarçou de ajudante de padeiro e criou a deliciosa receita. O apaixonado atribuiu a receita ao futuro sogro, caiu no gosto dos clientes e ficou conhecido como “Pan de Toni”. Existem mais outras versões para a origem deste saboroso pão, uma delas atribui a invenção aomestre cuca Gian Galeazzo Visconti, primeiro duque de Milão. De acordo com esta versão, o mestre  criou o pão para uma festa em 1395.

    Sobre seu criador não há certezas mas, de fato o panetone persiste como símbolo de sobremesa natalina até os dias de hoje. Com o passar do tempo, diversas técnicas e receitas aprimoraram este delicioso e delicado pão doce e hoje são diversas as variações do panetone: tem os recheados, trufados, receados com sorvete, salgados, a colomba pascoal e mais diversas outras adaptações.

    panetoni2

    O hábito de comer esta sobremesa na época do Natal, surgiu em Milão, se espalhou pela Itália e encantou paladares dos mais variados cantos do mundo. No Brasil, teria chegado em 1952  pelas mãos do italiano Gian Bauducco, que em sua doceria no Brás preparava o doce pão natalino. Atualmente os brasileiros consomem cerca de 20 mil toneladas por ano, concentrado no período entre os meses de outobro e dezembro. Estamos na segunda quinzena de outubro e eles já enfeitam as prateleiras dos mercados do Brasil inteiro e tem para todos os gostos, idades e bolsos.GorroDeNatal3

    Além de satisfazer e alegrar o paladar do brasileiro em época de festas, o panetone movimenta a economia neste período do ano, assim como na páscoa há um aumento vertiginoso no consumo de chocolate, na época de festas há um faturamento de cerca de R$ 250 milhões.

    O Natal está chegando e neste período de confraternização o panetone não pode deixar de marcar presença. Fica uma receita para os apaixonados pela sobremesa e pela arte de cozinhar.

    Ingredientes:

    – 1 xícara de chá de leite

    – 500g de frutas cristalizadas

    – 1 colher de chá de sal

    – 1 colher de sopa de essência de panetone

    – 2 ovos inteiros

    – 1 xícara de chá de mel

    – 1/2 xícara de chá de óleo de milho

    – 7 xícaras de chá de trigo

    – 4 tabletes de fermento biológico

    – 1/2 xícara de chá de açúcar

    Modo de preparo: Misture em uma panela o leite e o açúcar e leve para amornar. Transfira para uma tigela e misture o fermento, mexa até dissolver. Adicione uma xícara de farinha e mexa até que fique homogêneo. Cubra a tigela com papel filme e deixe  descansar em um local aquecido, por 30 minutos. Enquanto isso, leve ao fogo o óleo e o mel, deixe até levantar fervura. Deixe amornar e então, acrescente e  misture com um batedor manual os ovos e a essência de panetone. Reserve. À  parte, peneire a farinha restante e o sal. Incorpore à massa crescida, o creme de ovos alternando com o trigo, misturando sempre. Em seguida transfira a massa para uma superfície enfarinhada e sove por 15 minutos. Coloque a massa em uma tigela, cubra com papel filme e deixe crescer por 45 minutos. Depois, abra a massa e espalhe as frutas cristalizadas. Enrole como rocambole e distribua a massa em duas formas de papel próprias para panetone, com capacidade para 500g cada uma. Coloque a massa até metade da forma e deixe crescer por mais 30 minutos. Ligue o forno à temperatura média por 45 minutos.

    h1

    Semana Mesa SP

    22 de outubro de 2009
    Adriana Cortez

    semanamesasp

    Entre os dias 26 e 30 de outubro, a cidade de São Paulo recebe o maior evento gastronômico do país, a Semana Mesa SP promovido pela revista Prazeres da Mesa e pelo Senac São Paulo. Renomados chefes de países como França e Espanha são alguns dos convidados que movimentarão a capital através de dois eventos simultâneos: o Mesa Tendências e o Prazeres da Mesa ao Vivo.  

    A Semana da Mesa nasceu em 2008 a partir de uma nova configuração, que unia o Prazeres da Mesa ao Vivo e o Mesa Tendências. Hoje ele é o maior encontro de gastronomia do país e na última edição cerca de 10 mil pessoas de diversos estados e países participaram do evento.

    jantargeracoesO evento começa no dia 26 com o Jantar das Gerações França – Brasil, que será liderado pelos grandes chefes Claude Troisgros e Laurent Suaudeau, com o objetivo de homenagear as gerações de chefes franceses que vivem no Brasil e suas influências sobre nossa cozinha. O evento mais aguardado da edição 2009 conta com 24 chefes franco-brasileiros serão 21 estrelas do Guia Michelin reunidas no evento beneficente que ocorrerá no Grand Hyatt. As doações arrecadadas através da venda dos ingressos serão revertidas para instituições sociais que atuam na promoção de projetos ligados à gastronomia.

    Com o patrocínio de grandes empresas como a Petybon, Nespresso e Grand Hyattpatrocinadores e de grandes meios de comunicação como o canal GNT, as rádios BandNews FM e Alpha FM; além de órgãos institucionais como o (Conselho Municipal de Turismo de São Paulo) e Prefeitura de São Paulo e São Paulo Turismo, o acontecimento tem como objetivo debater as tendências gastronômicas e as novas descobertas profissionais, com atividades pagas e gratuitas, voltadas para especialistas e para o público em geral. 

    De acordo com Mriella Lazaretti, diretora de marketing da revista Prazeres da Mesa “a Semana Mesa SP foi pensada para agradar amantes da gastronomia, profissionais e estudantes da área, trazendo importantes chefes de todo o mundo.”

    aovivo Criado em 2004, o Prazeres da Mesa ao Vivo partiu do princípio que a revista não é apenas uma produção gráfica e editorial, e sim um veículo que promove ações associadas à cultura e experiência gastronômica. Hoje o evento é uma oportunidade tanto para leitores como para chefes e apreciadores da boa mesa acompanhar em um espaço de oito mil m² a produção da edição mais importante.

    Em sua sexta edição, com o tema Brasil: Todos os Caminhos Levam à Cozinha de Vanguarda, o Prazeres da Mesa acontecerá entre os dias 28 a 30 de outubro. O evento promoverá aulas e degustações das 14h às 22h, além de exposições de produtos de fornecedores e atuações e, cozinhas especialmente montadas, de diversos chefes renomados.

    Organizado em oito salas, padaria e confeitaria, o evento conta com a presença de grandes nomes da gastronomia brasileira como Flavia Quaresma, Mara Salles (Tordesilhas) e Carlos Bertolazzi (Cucina) juntamente com Enrique Olvera, o mais novo talento do México, e Roland Trettl, que caça talentos e cozinha com grandes chefes em seu restaurante na Áustria. Para quem gosta de apreciar uma boa bebida, degustações de vinhos e de cervejas estarão à disposição, mas cobradas a parte.

    Rapidamente o Prazeres da Mesa ao Vivo tornou-se referência no Brasil e no exterior e com esse sucesso, em 2007 foi criado o fórum Mesa Tendências, um espaço dedicado a discussões, troca de experiências e conhecimentos entre estudantes e profissionais do setor, como críticos internacionais, jornalistas e chefes do mundo todo.

    Este ano o Mesa Tendências deixou de ser um fórum e se tornou um congresso. Com omesatendencia tema Cozinha evolutiva – das raízes à tecnologia, ele terá apresentação de palestras e workshops sob o comando dos mais importantes chefes. Com o objetivo de gerar um intercâmbio de conceitos, teorias, ingredientes, técnicas de cozinha e tecnologias aplicadas à gastronomia, o congresso possui uma programação variada e gratuita para o público em geral e mostra de produtos para especialistas.

    Para o Mesa Tendências uma das coisas mais importantes é poder mostrar o valor dos ingredientes locais e como evoluíram as técnicas com o passar do tempo, sem esquecer da base clássica considerada importantíssima para o surgimento de novos conceitos.

    stand4

    Quem quiser participar  é só realizar a inscrição pelo site da revista Prazeres da Mesa, mas não deixa para a última hora, pois as vagas são limitadas. Não perca este evento internacionalmente famoso.

    Endereço – Centro de Convenções do Centro Universitário Senac – Campus Santo Amaro
    Av. Eng. Eusébio Stevaux, 823 – São Paulo – SP
    Informações e inscrições pelo site www.prazeresdamesa.com.br/semanamesasp