h1

E o que sobrou de ontem?

4 de novembro de 2009
Bianka Saccoman

Evite o desperdício! Existe uma enorme variedade de receitas que podem ser feitas aproveitando sobras daquilo que não será mais consumido ou irá para o lixo.

Porcentagem de desperdício dos alimentos

O consumo que nos cerca todos os dias – o tempo inteiro – inevitavelmente não é somente o ato da compra. Na verdade o comprar em si é apenas uma etapa do consumo. Antes dela, temos que decidir o que consumir, por que consumir, como consumir, de quem consumir, e por último, a fase mais impactante para a sociedade é decidir o que fazer com o bem depois que não tiver mais utilidade, onde descartá-lo.  

O consumo consciente pode ser praticado no dia-a-dia, por meio de gestos simples que levem em conta os impactos da compra, uso e descarte de produtos ou serviços. Tais gestos incluem a percepção da maneira como utilizamos e descartamos os recursos, os diversos produtos, e a escolha das empresas das quais iremos comprar, em função de sua responsabilidade sócio-ambiental.

O Instituto Akatu Pelo Consumo Consciente lançou neste ano lançou a campanha: 1/3 de tudo o que você compra vai direto para o lixo”. Ela alerta para a problemática do desperdício de alimentos e dá dicas de como consumir os alimentos de forma consciente para evitar desperdícios. Confira o site da campanha, além de informativo, ele é bastante criativo!

O Brasil é considerado um dos países que mais desperdiçam alimentos. De 30 a 40% de todos os alimentos produzidos no país vão parar no lixo. O brasileiro joga fora mais comida do que consome. Um estudo da Embrapa Agroindústria de Alimentos mostra que só em hortaliças, por exemplo, a perda total a cada ano é de 37 quilos por habitante, enquanto a ingestão desses vegetais não passa dos 35 quilos no mesmo período de tempo. A colheita, o transporte e o armazenamento são considerados os principais fatores causadores do desperdício. Simplesmente evitando o desperdício, o problema da fome no Brasil pode ser solucionado.

Programa Mesa SESCO SESC São Paulo implantou o programa Mesa SESC que combate a fome e o desperdício, unindo diariamente centenas de empresas que podem doar alimentos à instituições sociais. O programa não é uma campanha assistencialista, ela tem caráter permanente, baseado na parceria e responsabilidades das instituições integradas. O programa atua de duas maneiras: através do Banco de Alimentos – um centro de recolhimento e distribuição de alimentos – e da Colheita Urbana –  que encarrega-se de coletar, todos os dias, alimentos frescos, produtos hortifrutigranjeiros, industrializados entre outros, e de encaminhá-los para entidades sócias. A colheita urbana não possui estoque, pois a distribuição é imediata.

Portanto, já que o consumo é uma constante, o desperdício pode, e deve ser evitado. Dentro da cozinha existe uma série de ingredientes que são jogados fora quando ainda apresentam potencial nutritivo.

As sobras de alimentos já preparados constituem uma grande parcela no desperdício. O jeito é reinventar aquilo que sobrou. Adicionar outros ingredientes nas sobras do almoço garante uma refeição nova no jantar.

As sobras do purê de batatas ou de mandioquinha podem virar um escondidinho de frango ou carne seca, basta adicionar a carne, cobrir com o purê e levar ao forno para gratinar. O arroz, pode se tornar bolinho de arroz, e o feijão, uma sopa.

Escondidinho de carne seca

Os restos de frios podem ser utilizados para fazer patês. Basta bater as sobras de frios com ricota ou outro queijo macio. Espalhe o patê sobre torradas e sirva. Em refogados, pique bem os frios com cebola, cenoura e salsão e refogue no azeite de oliva ou na manteiga.

Lembrando que se a quantidade da refeição foi além do planejado, congelar é sempre uma ótima opção.

As cascas, folhas e talos também podem ser aproveitados em diversas hortaliças, algumas vezes, estas partes contêm até mais nutrientes. As folhas da couve-flor apresentam uma quantidade maior de vitamina C do que a laranja. As folhas de nabo, rabanete e beterraba são melhores fontes de cálcio, fósforo e vitaminas A e C do que a própria raiz, que é a parte mais comestível desses vegetais. As da cenoura e as da salsa são ricas em vitamina A e devem ser aproveitadas para fazer bolinhos, sopas e picadinhos.

SUFLÊ DE FOLHAS DE COUVE-FLOR     Suflê de folhas de couve flor
Ingredientes:

•4 xícaras de folhas de couve-flor cozidas e picadas
• 2 colheres de farinha de trigo
• 2 colheres de manteiga
• 1 colher de café de fermento em pó
• 1 xícara de café de leite
• 2 ovos
• Sal a gosto

Modo de preparo:

Aqueça a manteiga, junte a farinha, o leite e misture as folhas de couve-flor, cozidas e picadas. Deixe descansar até amornar. Junte 2 gemas e o fermento. Bata as claras em neve e misture bem. Coloque em fôrma untada e leve ao forno por 20 minutos.

 Confira mais receitas com sobras de alimentos

Anúncios

2 comentários

  1. ATÉ QUE ENFIM! Alguém que pensa como eu!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Já estava um pouco cansada de ver pessoas a deitar fora sobras de comida ainda em perfeitas condições só porque não se tinham comido naquela refeição e a olhar para mim de lado ao descobrir que eu me armava em “Filipa Vacondeus”… por mais pequena que fosse a sobra!



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: