Archive for abril \06\UTC 2010

h1

Origem das bebidas – Tequila

6 de abril de 2010
Adriana Cortez

A história da tequila está diretamente ligada ao encontro de duas culturas. Os mais consumiam um fermentado em rituais religiosos, os espanhóis tiveram a idéia de destilar esse líquido e o resultado foi um sucesso. Hoje é consumido em um shot com limão e um copo com a borda salgada.

A autêntica tequila precisa ter pelo menos 51% de açúcar proveniente do cozimento da parte central da planta e ser fabricada por algum desses cinco estados mexicanos: Jalisco (o mais representativo), Guanajuato, Michoacán, Tamaulipas e Nayarit. A mais especial é a Extra Añejo, que precisa envelhecer três anos em barris de carvalho antes de ser comercializada. 

h1

Garçom, uma dose de sorvete!

4 de abril de 2010
Adriana Cortez

Sorvete de especiarias com espuma de cerveja

Inocente, é o que todos pensam do refrescante e doce sorvete, mas essa fama está mudando, ele não é mais o mesmo. Agora ele está ficando mais atraente, encorpado, com ingredientes típicos dos bares. O clássico sorvete de chocolate está combinando com uísque, o de amora com tequila e o de limão com cachaça se tornaram celebridades e uma boa mistura de frescor e potência alcoólica.

Em diversas capitais do país os sabores encontrados vão muito além do clássico passas ao rum. Mas não pense que uma bola de sorvete tem grande concentração alcoólica, na verdade ela não ultrapassa 3%. A intenção é o sorvete ter um toque especial de cada bebida. Em São Paulo você encontra essas delícias na sorveteria Stuppendo e na Vipiteno Gelato & Caffè.

A primeira é comandada pelo Chef Edu Guedes e os sabores dos sorvetes mudam constantemente. Os alcoólicos estão frequentemente no cardápio como o morango com campanhe e pêra com presecco. Já a Vipiteno é comandada pelo francês Laurent Suaudea, famoso por elaborar sorvetes com sabores e texturas incomuns, por exemplo, a coppa carioca combina geléia de cerveja e sorvete de especiarias (canela, cravo e anis estrelado) cobertos com espuma de cerveja tipo pilsen e canela em pó.

Stuppendo – Rua Canário, 1321, Moema, (11) 5093-2967
Vipiteno Gelato & Caffè – R. Manuel Guedes, 85, Itaim Bibi, (11) 3476-1881
h1

Bacon, o sucesso doce-salgado

1 de abril de 2010
Adriana Cortez

A sensação do momento nos Estados Unidos tem o nome em homenagem ao filósofo inglês renascentista Francis Bacon, a guloseima vem uma caixinha chamada, barras Sir Francis Bacon. Do que é feita essas barrinhas? Inacreditavelmente é uma mistura de pedacinhos de bacon com açúcar e amendoim, popularmente conhecido como caramelo crocante com bacon, uma mistura de defumado-doce-salgado que tem feito muito sucesso entre os americanos.

Os inventores dessa mistura, os americanos Bob Coyle e Steve Saari, em entrevista ao jornal The New York Times disseram que para chegar a essa receita não foi um caminho fácil, mas que valeu a pena e agora já estão fazendo outra versão, com chocolate.

Se você acha que essa é a primeira vez que bacon e doce estão juntos não conhece os pirulitos de maple syrup com bacon criados pela Lollyphile, os cupcakes de manteiga de amendoim, chocolate e bacon da 4505 Meats, além de cookies e toffee, tudo com muito bacon.

As receitas mais exóticas ficam por conta do pâtissier americano David Lebovitz, que criou o sorvete de bacon caramelad e do Pirate Cat Radio Café, em São Francisco, criador do café latte de bacon e maple syrup.    

Não é de agora que chefs misturam o doce e o salgado, a nova moda bacon doce nasceu na cozinha de restaurantes famosos como o Gramercy Tavern, de Nova York, em seu cardápio a tortinha de ganache de chocolate com crocante de bacon e creme fraîche era a grande atração doce do menu; o marshmallow de bacon do restaurante Perbacco, em São Francisco, também fez muito sucesso.

A escritora americana Sara Perry, apaixonada por bacon, escreveu Everything Tastes Better with Bacon (Tudo é mais gostoso com bacon) publicado pela editora Chronicle Books. O livro tem 70 receitas para todas as horas, todas com bacon. A seguir uma entrevista com a autora do livro retirada do site do Estado de S. Paulo.

Paladar – Você acha mesmo que qualquer coisa melhora com bacon?
Sara Perry – Acho sim, mesmo os doces. A maioria das pessoas imagina que uma sobremesa com bacon não poderia ser boa, mas é um engano.

Paladar – Doce com bacon?
Sara – Até aquela velha receita de torta de maçã ganha com o toucinho defumado. Imagine acrescentar bacon picadinho à cobertura crocante. Fica ótimo.Também combina com cookies. James Beard (considerado o pai da crítica americana)adorava adicionar açúcar mascavo ao seu bacon matutino. Experimente, vale a pena.

Paladar – Não acha um pouco esquisita esta mistura?
Sara – Esquisita não; surpreendente, sim. Muita gente não quer experimentar porque acha a ideia estranha, mas um caramelo com bacon crocante é delicioso. É o tipo de doce que você faz, deixa seus amigos provarem e só depois pode contar como é feito.

Paladar- Como surgiu a ideia?
Sara – Comecei quando me lembrei de como gostava da calda caramelada do presunto assado de Natal. Aí, pensei: com bacon deve ficar ainda melhor. Bacon tem dois elementos muito carismáticos, sal e gordura, que mudam qualquer ingrediente que toquem, seja ele salgado ou doce. O sal realça o sabor, e a gordura leva o sabor até as nossas papilas gustativas. O bacon é crocante, levemente doce e muito, muito gostoso.

Para quem quiser experimentar doce com bacon encontramos uma receita de cookies picante com gordura de bacon.

Ingredientes: 150g de farinha
100g + 1 colher (sopa) de açúcar
1 colher (chá) de sal
¾ colher (chá) de canela em pó
¾ colher (chá) de gengibre
em pó
¾ colher (chá) de cravo em pó
100g de gordura de bacon (retiradas de aproximadamente 450g)
2 colheres (chá) de melaço
1 ovo

Modo de preparo: ponha a farinha com o açúcar, sal e as especiarias num processador de alimentos e aperte a tecla “pulsar” até tudo ficar bem misturado. Acrescente a gordura de bacon, o melaço e o ovo. Pulse novamente até formar uma massa leve.
Unte duas formas grandes de assar. Preaqueça o forno a 180°C.Com uma colher, pegue pequenas porções da massa e faça bolas. Nas formas, achate as bolinhas levemente com um garfo. Deixe um espaço de cerca de 5 cm. entre uma massa e outra. Asse até que os cookies ganhem uma coloração dourada (cerca de 10 min.). Deixe os cookies esfriar e guarde os que não for comer para um pote bem fechado.